“Para benzer de mau jeito, fervo a água numa canequinha, depois eu faço cruz com cinza e com sal, tem que ser sete cruzes”.

Sandra Zorzetto

Entrevista

Galeria de Fotos

Eu comecei benzendo uma vaquinha, ela tinha o nome de Mimosa. Foi na casa do meu Emílio Tetzner, perguntei para ele porque a vaca estava com um pano amarrado na pata. Ele respondeu que ela estava com mau jeito.

Aí eu falei: “Então eu vou fazer o benzimento”. Peguei o nome dela e fiz. Quando voltei no outro domingo, eles chegaram, vieram me cumprimentar, a mulher veio até chorando,

e me falaram que na mesma noite a vaca ficou boa, começou a berrar sem parar e quis o bezerro para dar de mamar. Ela não deixava o bezerro nem mamar, porque tinha muita dor na pata. Comecei assim e depois não parei mais.

Faço benzimento de mau olhado, de vermes, bichas,quebrante, dor de cabeça. Esses são os que mais pedem. Faço bastante coisa, tudo o que pedem. Eu experimento os meus benzimentos para ver se dá certo e sempre dá , graças à Deus.

Aprendi com uma vizinha minha que chama Dirce. Ela disse que não ia fazer mais e passou para mim. E é verdade, porque se alguém vai à casa dela pedir, ela manda pra mim.Faz uns quinze anos que faço isso. Eu pedi um livrinho de preces do Rio de Janeiro, minha cunhada falou desse livrinho que uma senhora tinha, eu peguei o endereço e pedi. Chegou o livrinho e comecei a fazer. O livrinho tem muitas preces curadoras.

Faço responso também, tenho outro livrinho de responso de Santo Antônio.Responso é quando a pessoa perde alguma coisa, então a pessoa pede para fazer o responso para achar aquilo que perdeu.Sempre quando as pessoas pedem responso, elas ligamdepois contando que achou, e eu fico contente por causa disso, né?

Esses dias mesmo eu fiz para uma senhora que costura, ela reformou umas roupas e não achava a sacola de roupas, a pessoa foi buscar e ela não achava de jeito nenhum. Então ela me pediu para rezar o responso e no outro dia ela achou a sacola caída atrás de um móvel,ela não tinha visto antes. Depois foi direto no lugar onde a sacola estava e achou.

É só pedir, a gente fala que o quebrante vai sair pelas costas, por trás, pela frente, dos lados. Eu não guardo as orações de jeito nenhum, preciso ler mesmo. Só tem uma que eu guardo um pouquinho. Para benzer de mau jeito, fervo a água numa canequinha, depois eu faço cruz com cinza e com sal, tem que ser sete cruzes, aí coloco a canequinha dentro de uma baciazinha com água, viro de ponta cabeça, a água sobe dentro da canequinha efaço uma cruzinha na caneca com palito de dente ou com palito de fósforo.

Para fazer de vermes, quebrante ou mau olhado, sempre uso folha de guiné, porque assim não passa pra gente. Uso e depois que termino de fazer, jogo num lugar para secar.

O guiné, a arruda, a alecrim, todas essas coisas valem, mas eu tenho bastante guiné e por isso uso o guiné. Também tem a planta “Bela Dona” que uso contra o esporão. Para funcionar a pessoa que tem esporão precisar ganhar a muda de Bela Dona de alguém, aí faz o plantio num vaso e quando a planta crescer e ultrapassar a altura da pessoa ela é curada. As pessoas geralmente ligam, pedem para eu benzer “Fulano”, então eu pego o nome certinho da pessoa ou da criança e faço.

Eu benzo por nome, não benzo na minha casa, então as pessoas ligam e pedem para eu benzer por nome, dão o nome certinho e eu faço. A pessoa já vem com aquela fé de que vai sarar e sara mesmo. Sem fé a gente não é nada nesse mundo.

Tinha uma criança que tinha muito medo, ela chama Lara. A menina não abria nem a gaveta da máquina, de tanto medo que tinha.

A avó pediu para eu fazer uma oração para ela, e eu achei uma oração lá e fiz. A avó ligou depois de três dias, para me avisar que agora a menina não tem mais medo, está cada vez melhor.

Tudo isso veio por causa da minha fé. Sou católica e minha família sempre participou da Igreja. Meu marido é ministro da eucaristia, acho que faz mais de quarenta anos, o meu filho mais velho e a esposa dele tomavam conta da Igreja Sagrado Coração de Jesus. Os meus netos eram coroinhas, agora não mais porque já estão com 18 anos. E tem um outro que participa do encontro de casais.

Todos eles participam para ajudar, trabalhar. A gente trabalha quando tem festa... Eu faço maçã do amor, morango com chocolate. Antigamente quando ele começou há quarenta anos, a gente fazia tudo na minha casa. Fazia cachorro quente, maçã, tudo aqui...

Edição de texto por Heyk Pimenta